quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

órfã de vida

Não tem medida, mesura, bitola.
Uma percepção subjetiva, presença, lembrança, sinal.
Nenhum som emitido sem atitude merece reverberar.
Nenhum instante vago carece de registro.
Uma membrana invisível é a lente da vida.
A luz que encharca a alma não mais emana.
Foi-se a folha solta ao vento
Não chora pelo galho que exibe a cicatriz
A seiva que brota com a sua ausência
É órfã de vida.

2 comentários:

Viviane Rolemberg disse...

Ei, Gê... tá tudo bem?

Germana Accioly disse...

Oi Vivi

ta tudo sendo vivido.

beijo

Tem uma palavra que tudo resume, Tudo explica e preenche os espaços. Uma palavra que ilustra e liga. Religa. Existem laços que são p...